Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

The diary of a teenager

A girl should be two things: classy and fabulous

27
Set19

Explicações: para quem e quais os preços?

Sofia

Regressar às aulas é entusiasmante mas nem sempre é uma altura leve. Estamos habituados à (não) rotina das férias, fazer programas e ter experiências diferentes, descansar. Enfim, voltar à escola e ao quotidiano pode ser um desafio, especialmente porque há sempre algumas disciplinas mais complicadas e que exigem mais dos alunos. São muitas matérias, muita informação e nem todos temos apetências para as mesmas áreas: e ainda bem!

 

THE DIARY OF A TEENAGER (1).png

 

➳ Será necessário recorrer a explicações?

Especialmente para quem está no ensino secundário, em que a média de curso e a nota nos exames são decisivas para o percurso académico, impõe-se uma questão: será necessário recorrer a explicações? Em anos mais iniciais, muitas vezes há este apoio por parte dos pais, mães e tutores, mas à medida que os anos passam, é essencial que haja um acompanhamento e uma ajuda mais intensiva e personalizada naquelas matérias mais complicadas, pois são necessários conhecimentos específicos e profundos sobre as mesmas. Para além disso, nem sempre é fácil gerir a relação de parentesco neste momento de apoio escolar. Para ultrapassar o problema, muitos e muitas estudantes optam por recorrer a explicações, sejam elas privadas, em grupo, num ou numa profissional particular ou num centro de explicações. Actualmente, existem plataformas online que facilitam esta procura de explicadores/as, como a Zaask.

 

➳ As explicações são só para estudantes com dificuldades em certas disciplinas?

Não, de todo! Ao contrário do que se pensa muitas vezes, as explicações não são apenas para aqueles alunos ou alunas que têm dificuldades numa disciplina e que estão em risco de reprovar. Especialmente a nível do ensino secundário, a realidade é bem diferente: os exames nacionais, ou as chamadas provas de ingresso, são essenciais para garantir a entrada nas faculdades e irão definir, juntamente com a média do ensino secundário, a média de admissão. Estas provas e o domínio das matérias podem definir o caminho da pessoa e providenciar a entrada no curso desejado. De forma a obter valores que permitam a entrada no curso pretendido, especialmente naqueles mais concorridos e competitivos, muitos alunos e famílias optam por investir em sessões de explicação desde o início do ano lectivo ou mesmo do início do ensino secundário. O objectivo aqui é fazer com que as notas sejam boas ao longo do ano e que as bases, em termos curriculares, estejam devidamente assentes.

 

➳ Quais as explicações mais procuradas?

Tal como já foi dito anteriormente, há disciplinas especialmente importantes para a entrada no ensino superior e que têm um exame nacional. Da mesma forma, há também matérias que são, em geral, um pouco mais difíceis de assimilar. Assim é, de certa forma esperado que haja um maior volume de procura para certas disciplinas e explicadores de certas áreas. Através de dados recolhidos na plataforma Zaask, percebemos que as explicações mais requisitadas em Portugal são as de Matemática (cerca de 25%), seguindo as de Inglês (20%) e temos Biologia em terceiro lugar (6%). Neste universo estão incluídos todos os serviços e aulas de idiomas existentes na plataforma. Os dados têm em conta o número de pedidos entre Setembro de 2018 e Setembro de 2019.

 

➳ Quais os preços?

Os preços das explicações não estão tabulados e há imensos factores que podem determinar quanto se irá gastar neste serviço. Normalmente, as explicações são pagas de forma mensal, conforme o número de sessões que se tenham combinado previamente. Evidentemente que o número de alunos/as é uma das variáveis mais importantes, pois se houver um pequeno grupo de estudantes do mesmo nível a frequentar a mesma sessão de explicações, o preço por cada um é será mais baixo do que se for uma sessão individual. Para além disso, a própria disciplina e o ano de escolaridade também farão com que o preço varie. As disciplinas mais procuradas podem ter preços mais altos que as restantes. Já noutra perspectiva, quanto mais avançado o ano de escolaridade, mais conhecimentos tem o explicador ou a explicadora de dominar e, por isso, mais elevado poderá ser o preço. O facto de ser um explicador particular ou um centro de explicações também poderá fazer com que o preço seja mais alto ou mais baixo. De acordo com os dados da plataforma, as explicações de matemática costumam rondar os 20€/h, a nível nacional. Já as aulas de inglês andam à volta dos 13€/h. Uma hora de explicação de biologia custa cerca de 18€/h. As explicações podem ser uma grande ajuda para os e as estudantes, para que se consigam ter o acompanhamento necessário nas matérias que mais precisa de dominar para os exames nacionais ou para que consigam ultrapassar algumas dificuldades. É importante ainda referir, especialmente para as pessoas que tratam das finanças familiares, que os encargos com a educação podem ser deduzidos no IRS, sendo fundamental requisitar os recibos ao/à explicador/a ou ao centro de explicações.

 

Espero que estas dicas vos sejam úteis e vos ajude a tornar este ano letivo em algo mais fácil. Antes de ir, quero apenas agradecer, mais uma vez, à Zaask por terem estabelecido esta parceria comigo. Foi um prazer trabalhar com eles e espero que para quem está desse lado também tenha gostado de ler sobre este tema que foi pensado em vocês. Vejo-vos num próximo post <3

24
Set19

Maquilhagem para este outono

Sofia

makeup.PNG

1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6

 

E com o outono mesmo acabadinho de chegar, há que apostar em tons mais quentes no que toca a maquilhagem. Tentei reunir alguns produtos que eu própria utilizo e adoro, para vos dar esta pequena sugestão de maquilhagem para esta nova estação. Olhos poderosos já praticamente fazem o look, não é verdade? Espero que tenham gostado e vejo-vos num próximo post :)

23
Set19

Tendências para este outono

Sofia

Já se sabe que sou uma apaixonada por moda, como quase toda a mulher, não é verdade? E bem, uma das coisas que mais adoro em moda é, sem dúvida, o facto de ser algo tão rotativo. Com isto quero dizer que existem certas tendências que vão e voltam, ou seja, neste momento pode não se usar muito, mas quem sabe se daqui a uns anos vai estar no nosso guarda-roupa? Acho isto verdadeiramente curioso e sou completamente apaixonada por esta vertente do mundo da moda. E bem, depois de alguma pesquisa e de ver o que anda pelas lojas, vou apresentar-vos as maiores tendências para este outono e tudo aquilo que vocês precisam para arrasar nesta nova estação.

 

➳ Camel por todo o lado

Já li em vários artigos que nos dizem que para este outono/inverno 2019 o que vai estar em alta é o regressos dos anos 70. Acho isto bastante giro porque sempre que vejo filmes dessa altura, gosto bastante da forma como se vestem. Ora, uma das coisas que provavelmente mais vão reparar é que a cor camel está em todo o lado e este ano vai estar em alta em todas as lojas. 

 

Camel.jpg

Casaco Pull&Bear | Básico Zara

 

➳ Bombazine

Não sei quanto a vocês mas este tecido é o tecido da minha infância. Lembro-me que tinha saias, calças e até casacos de bombazine e ver todas estas peças de volta nas lojas é um quanto nostálgico. Há 2 anos atrás comprei um vestido de bombazine cor-de-rosa do estilo jardineiras e adoro, entretanto reparei que há imensos deste género na nova coleção e na cor camel. Sinceramente, acho que é uma tendência fofinha e que me está a conquistar o coração aos poucos, portanto não devo resistir durante muito mais tempo e devo comprar um casaco destes.

 

bombazine.jpg

Casaco Pull&Bear | Vestido Pull&Bear

 

➳ Trench Coat

Posso dizer que voltei a utilizar trench coat bem antes desta moda regressar. O ano passado, por influência da youtuber Freddy, comprei uma trench coat na Zara Kids (na Zara para mulher ficavam-me enormes) e até vos mostrei no meu lookbook de 2018. Bem, algumas lojas do grupo Inditex (Zara, Stradivarius, etc...) apostaram nestes casacos e estão por todo o lado! Pessoalmente, gosto bastante para dias de chuva porque são uma peça clássica e que vai com tudo.

 

trench.jpg

Trench Stradivarius | Trench Zara

 

➳ Animal print

Confesso que não adoro propriamente esta tendência e ainda estou bastante reticente em relação a algumas peças. Detesto o padrão a imitar a pele de cobra porque faz-me tremenda confusão, já no que toca a tigresas até aceito e gosto bastante de uma saia da Brownie neste padrão. De qualquer das formas, preparem-se para ver animal print por todo o lado, em malas, blusas e muito mais.

 

Animal Print.jpg

Vestido Stradivarius | Saia-calção Zara

 

➳ Mangas em balão

Se forem à Zara vão reparar que 80% das camisolas são com mangas balão. Isto acontece não só em blusas, mas também com as camisolas de malha que usámos e abusámos no inverno. Uma tendência com um toque mais excêntrico e que está a dar tudo nas capitais da moda. Pessoalmente, não me imagino muito com este tipo de camisola e vocês?

 

manga balão.jpg

Camisa Zara | Blusa Zara

 

Apesar de não estarem aqui todas as tendências (ainda falta o xadrez e muito mais), vou dar este post por terminado porque penso que estas são mesmo as principais e que facilmente encontram em todo o lado. Em relação a algumas ainda estou bastante reticente e existem algumas que mal posso esperar para usar. Portanto, espero que vocês tenham gostado deste post e digam-me nos comentários quais são as vossas tendências favoritas. Beijinhos <3

22
Set19

#64 Frase da Semana

Sofia

Há já uns meses estava no Instagram e ouvi um pequeno desabafo da youtuber Inês Rochinha, onde ela falou que as pessoas têm cada vez mais pressa em fazer tudo, ou seja, em ver os resultados no momento, querer fazer tudo ao mesmo tempo e muitas outras coisas. Isto levou-me a pensar um bocadinho e cheguei à mesma conclusão que ela, de facto nós temos demasiada pressa para fazer as coisas. Continuei a pensar no assunto durante uns dias e percebi que cada um de nós tem um determinado tempo, um certo capítulo da nossa história para fazer x ou y. E é por isso que deixo aqui esta frase, confiem. Confiem no universo, nas coisas que estão aí à vossa espera e levem as coisas com calma, um dia de cada vez, não é verdade? E bem, depois deste desabafo um pouco aleatório, desejo-vos uma boa semana <3

21
Set19

TAG | Sweater Weather

Sofia

Apesar de ser uma grande amante do verão devido aos dias mais longos e à chegada das férias, penso que a minha estação favorita é o outono. Adoro as temperaturas mais baixas, a mudança da cor das folhas e, acima de tudo, as roupas de outono/inverno. São demasiado lindas, não acham? E bem, para celebrar a chegada do outono, como já é habitual, trouxe-vos este pequeno desafio que consiste em responder a algumas perguntas sobre esta estação de que gosto tanto. Portanto, sem mais demoras, vamos lá começar com a tag clássica: sweater weather :)

 

reallygretsite.com.png

 

1- Fragrância de velas favorita?

Desde que me lembro que adoro a fragrância de frutos vermelhos porque no Natal a minha mãe costumava acender algumas pelas sala e eu adorava esse cheiro, associava sempre a essa altura do ano. Continuo a gostar mesmo muito por ser uma fragrância tão doce e que a mim me traz tão boas memórias, no entanto, tenho tentado explorar coisas diferentes e tenho apostado na de baunilha. Quanto à marca, este ano decidi apostar nas velas da Yankee e estou completamente apaixonada. 

 

2- Café, chá ou chocolate quente?

Posso dizer-vos que detesto café, incluindo o cheiro, não aguento com aquilo. Também não sou fã de chá, apesar de nunca ter provado, mas o cheiro também me deixa um bocadinho reticente e confesso que tenho imensa pena de não gostar, porque acho que deve ser mesmo bom num dia de frio. Como aqui a je é bastante esquisita, obviamente, que prefiro chocolate quente e às vezes bebo ao lanche. No Porto o meu sítio favorito para beber chocolate quente, sem dúvida, que é na Spirito e estar lá num dia de outono é mesmo muito relaxante porque todo o espaço está decorado a rigor.

 

3- Mudas a rotina de maquilhagem consoante a época?

No que toca a maquilhagem eu sou bastante simples e, na maioria dos dias, utilizo um pouco de corretor e máscara de pestanas. Quando tenho um bocadinho mais de tempo para me arranjar gosto de aplicar um bocadinho de base, blush, iluminador e passar um batom simples. Como não faço maquilhagem de olhos, posso dizer que não, não mudo a minha rotina de maquilhagem. Os meus cuidados antes e depois da maquilhagem são sempre os mesmos e a maquilhagem em si também passa por algo bastante minimalista que não necessita de qualquer tipo de mudança.

 

4- Chapéus ou lenços?

Detesto chapéus em qualquer estação do ano. Sim, eu sou aquela pessoa que até no verão evita ao máximo usar chapéu quando vai para a praia porque não gosto nada de me ver com eles e não fazem nada o meu estilo. Sendo assim, claramente que a resposta é: lenços. No inicio do outono costumo usar bastantes e, por acaso, preciso de fazer um pequeno update. Quando começámos a chegar ao inverno opto por cachecóis, são muito cozy e quentinhos para aqueles dias frios.

 

6- A cor de verniz que mais uso?

Confesso que não sou muito fã de vermelhos, gosto de ver mas não é de todo a minha cor de sonho para as unhas, ao contrário da minha irmã. Assim, as cores que mais utilizo para outono são nudes, aquele rosa velho mesmo amoroso e para sair um pouco dos tons mais claros costumo utilizar bordô.

 

7- Jeans ou leggins?

JEANSSSS. Não gosto nada de usar leggins no meu dia-a-dia, utilizo imenso com uma sweat porque fica a coisa mais confortável de sempre para estudar ou ficar por casa, fora disso só as utilizo em educação física e também é com aquelas t-shirt oversized ideais para fazer aula. Portanto, jeans são uma das peças que mais utilizo no outono/inverno. Desde há uns tempos para cá que comecei a apostar em jeans ligeiramente diferentes das que estava habituada, sempre utilizei skinny jeans e tenho começado a apostar nas mom jeans, um modelo mais vintage, super atual e que conseguem deixar um outfit muito mais cool

 

8- Botas ou Uggs?

Vou ser sincera, no outono e inverno é a altura do ano em que menos utilizo sapatilhas. Sou uma apaixonada por botins, acho que conseguem tornar um look simples em algo mais classy. Tenho bastantes pares, uma vez que utilizo muito durante estes próximos meses e às vezes até na primavera lhe dou algum uso. Acho que já conseguem perceber que isto, para mim, é mesmo uma daquelas peças que não pode faltar no meu guarda-roupa.

 

9- Qual é a coisa que mais gostas no Outono?

Esta é uma pergunta difícil porque, tal como referi bem no inicio do post, eu gosto das temperaturas mais baixas, a mudança das folhas e, sinceramente, até gosto do facto de anoitecer mais cedo e do horário de inverno. É uma dupla sensação porque no outono/inverno eu fico muito mais preguiçosa, porque às 18:30 já é praticamente de noite, por outro lado...eu até gosto disso, traz assim um ambiente mais cozy e juntamente com umas velas, é mesmo a combinação perfeita. Mas pronto, se tiver de escolher assim a coisa que mais gosto no outono, vou arriscar e dizer que é mesmo as roupas. Eu adoro as roupas de verão, aqueles vestidos mega fofinhos e as blusas, no entanto não posso negar de que as roupas de outono/inverno são lindas demais. Não é verdade? E adoro usar saias e vestidos durante esta estação, com umas meias e uns botins bem fofinhos fica um dos outfits mais giros de sempre. 

 

10- Qual é a música que te põe no mood de outono?

O ano passado respondi que qualquer uma do Ed Sheeran me fazia entrar nesta vibe outonal, mas tenho que admitir que entretanto fui entrando em contacto com outras bandas e cantores que me levam a mudar a minha resposta. Ora, a minha resposta passa então a ser: The Smiths, There is a light that never goes out. Quase todas as músicas desta banda me fazem entrar neste espírito, mas esta é a que associo mais a esta altura do ano. Fora desta, não consigo deixar de lado a Tiny Dancer do Elton John porque é demasiado bonita e também me põe no mood de outono.

 

11- Como é o outono na zona que vives?

Eu vivo no Porto e há uns anos atrás o outono era feito de manhãs e finais de tarde frios e alguns dias de chuva, em Outubro e Novembro já costumava chover um pouco. Ultimamente, estas estações do ano estão todas trocadas e passo grande parte do meu outono com blusas e às vezes até de manga curta porque as temperaturas chegam aos 23-25ºC. Sinceramente, eu acho isto um bastante triste porque, sejámos realistas, tivemos um verão extremamente estranho, dias que podiam ser considerados dias de inverno e quando chegámos realmente à altura de ter frio e chuva, temos temperaturas relativamente altas. #sad

 

E para terminar esta tag desafio algumas bloggers que sigo e admiro muito: Catarina, Carlota, Bia e Just an ordinary girl. Quem estiver interessado em participar sinta-se à vontade para tal, adoro ler as vossas respostas e poder conhecer um bocadinho melhor quem está aí desse lado. Assim, dou este post por terminado e desejo-vos um feliz dia, beijinhos <3

18
Set19

17 coisas que aprendi em 17 anos

Sofia

E adivinhem quem faz anos hoje? Não se esqueceram, pois não? Aqui a je faz hoje 17 anos e não podia estar mais feliz. O meu dia de anos é sempre um dia normal aos outros, vou às aulas, vejo os meus amigos, eles dão-me os parabéns, recebo imensos abraços e beijinhos ao longo do dia, recebo também algumas prendas, festejo mais 1 aninho e basicamente é isto. E bem, é também neste dia que as pessoas costumam perguntar se me sinto diferente e a verdade é que no momento eu sinto-me exatamente igual. No entanto, se olhar para trás e pensar como estava a minha vida há precisamente 1 ano, eu sei que mudei em muitos aspetos e aprendi novas coisas. Costumo fazer esta reflexão mentalmente mas hoje decidi partilhar convosco, uma vez que isto é o meu diário. Eu sempre partilhei inúmeros aspetos da minha vida aqui e embora os 17 não sejam uma idade muito marcante, eu sinto que ao longo deste último ano comecei a ver as coisas de uma forma diferente, sinto que foi o ano que mais me fez crescer pessoalmente e acho que será muito giro mostrar-vos as 17 coisas que aprendi nestes 17 anos. Portanto, vamos lá começar :)

 

BeFunky Collage.jpg

 

1- Nunca colocar ninguém acima de mim

Penso que isto foi a maior lição que tirei nos últimos meses. Eu já vos contei que em Agosto tive um grande desgosto no que toca a amizades e eu percebi que ao longo daqueles 3 anos, eu sempre coloquei aquela pessoa acima de mim, daquilo que era melhor para mim. Eu sinto que já tinha percebido que era uma pessoa tóxica na minha vida, mas continuava sempre a tentar dar uma oportunidade porque o considerava um deus, a certo ponto eu acho que não dei o devido valor a mim mesma e isso não é suposto acontecer. Ao longo de 3 anos eu senti-me insuficiente e desde que cortei essa pessoa da minha vida, eu sinto-me melhor comigo, comecei a gostar mais de mim e a sentir-me mais confiante. Isto foi assim o meu primeiro grande desgosto e é em momentos como este em que percebo que era necessário receber assim um abanão do universo para me acordar e perceber que ninguém tem o direito de me fazer sentir como se eu não fosse nada. Aprendi e estou grata por isso, aprendi a amar-me verdadeiramente e tenho estado muito feliz desde desse dia.

 

2- Às vezes é necessário colocar limites

Eu sempre fui uma pessoa calma e que nunca gostou de confusões. Sou também uma pessoa sensível e impor-me, seja sobre que assunto, sempre foi difícil para mim. E bem, ao longo destes últimos anos tenho tentado melhorar nisto e penso que consegui. O tópico anterior também ajudou bastante e quando comecei a confiar mais em mim, comecei a perceber que em determinadas situações eu não podia simplesmente ficar calada. Infelizmente, no último ano letivo tive que lidar com 2 amigas que são aquele tipo de pessoa que adoram julgar os outros e, muitas vezes, julgavam-me a mim e à minha frente. Há cerca de 3 anos, eu ia ouvir a piada/comentário e guardar para mim. Finalmente, percebi que não e que isso não é correto. Existem determinadas situações em que temos todo o direito de colocar alguns limites, se a situação nos magoa ou simplesmente não queremos tocar no assunto, a outra pessoa tem de saber respeitar isso. 

 

3- Ser mais seletiva quando for às compras

Vocês já sabem que eu sou apaixonada por fazer compras e quando dou por mim já estou no shopping com a minha irmã. O que acontecia na maioria das vezes é que íamos às compras, víamos uma peça muito gira, estava em saldos ou promoção e comprávamos logo, sem pensar duas vezes. Andávamos 1/2 vezes com essa peça e depois já nos cansávamos e foi aí que percebemos que estávamos a gastar 10/20 € em roupa que nem gostávamos assim tanto, mas que comprávamos por impulso, seja pelo preço apelativo ou simplesmente porque queríamos roupa nova. Temos melhorado bastante nisto e somos muito mais seletivas quando vamos às compras. Há uns anos atrás eu era uma apaixonada por tudo o que tinha padrão floral e agora tento apostar em peças únicas, ou seja, que não são iguais aos do guarda-roupa de toda a gente. Portanto, penso que posso dizer que me tenho tornado muito mais seletiva no que toca a compras, tento perceber aquilo que preciso mesmo e depois escolher peças que até podem ser um bocadinho mais caras, mas são diferentes e sei que não me vou cansar delas em 2 dias. 

 

4- Não há problema em parar e descansar

Quando fui para o 10º ano, eu devia estar com um algum problema nesta cabeça e lembro-me que ficava até às 4h da manhã a estudar porque queria adiantar o estudo o máximo possível. Ao longo do tempo, além do cansaço acumulado, comecei a perceber que não estava a reter metade da informação que precisava. Fui melhorando nisto e no 11º ano já não ficava nestas maratonas intensivas de estudo porque, convenhamos, não era saudável, não é verdade? Isto tudo para vos dizer que finalmente percebi que não há problema em parar para visualizar melhor as coisas, para descansar a nossa mente. Às vezes é preferível parar 5 minutos de estudar, ou seja do que for, porque a nossa cabeça não está cá e não vamos aprender nada. Por isso, posso dizer que, em determinadas situações, é melhor estar a estudar pouco tempo mas tempo com boa qualidade do que passar horas e horas a fio e estar demasiado cansada para perceber. Sinceramente, é algo que me custou bastante a aprender e não entendia bem as consequências disto, mas cada vez mais dou valor ao cansaço psicológico e à nossa saúde mental. A verdade é que a escola, muitas vezes, tem um impacto muito grande nisto e temos de reconhecer os nossos próprios limites porque as notas não são mais importantes do que uma mente saudável and that's the tea.

 

5- Não me importar com aquilo que os outros pensam de mim

Penso que faz parte da natureza do ser humano gostar da sensação das pessoas gostarem de nós. O que quero dizer é que todos nós gostamos quando conhecemos alguém e essa pessoa nos diz que teve uma ótima impressão ou quando todas as pessoas que conhecemos têm algo de bom a dizer sobre nós. E bem, ao longo destes 17 anos percebi que isso nem sempre acontece. Nem toda a gente gosta de nós e é perfeitamente normal porque existem pessoas de que nós também não gostámos, seja porque as personalidades não encaixam ou por outro motivo qualquer. Durante algum tempo, confesso que levava isso um bocadinho a peito e não sabia lidar bem com isso. Quando tinha a sensação de que alguém não gostava de mim, ficava a pensar demasiado no assunto e a perguntar o que teria eu de errado. À medida que o tempo foi passando eu deixei de querer saber da opinião dos outros, se não gostam do meu vestido ou de x ou y porque as pessoas vão sempre encontrar alguma coisa para nos criticar. Por isso, o mais importante é sentir-me bem comigo mesma, a opinião de alguém é apenas um acessório e o importante é mesmo eu sentir-me feliz. 

 

6- Não fazer gossip e deixar de o usar como ferramenta de ligação

As duas amigas que vos falei tornaram-se parceiras do gossip ao longo do tempo. Isto porque quando começámos a ganhar confiança umas com as outras, começámos a falar de algumas pessoas da turma que não gostávamos assim tanto e fomos criando ligação porque partilhávamos a mesma opinião. Este pequeno hábito prolongou-se até ao ano passado e, sinceramente, eu comecei a reparar que era algo bastante tóxico e não trazia nada de bom para mim. O gossip que fazíamos era sempre sobre aqueles problemas de turma e aquelas coscuvilhices que toda a gente faz, porque quando elas começavam a julgar roupas ou atitudes, eu retirava-me da conversa porque não acho isso correto de todo e eu própria cheguei a ser alvo desses julgamentos. No que toca ao gossip, acho mesmo desnecessário e é algo que simplesmente não quero fazer, não quero andar aí a contar os pormenores da vida de x ou y ou a contar aquilo que ouvi. Não traz nada de bom para a vida de ninguém e é bastante infantil, por isso fico feliz por ter percebido isto a tempo.

 

7- Viver menos online

Há uns 3 anos comecei a viver muito dependente do telemóvel e das redes sociais. Passava grande parte do meu tempo livre no Instagram, Twitter, Snapchat e Messenger. A verdade é só uma...vivemos em pleno século XXI e as redes sociais estão no seu auge, vejo pessoas a darem os telemóveis aos seus filhos para brincar, vejo crianças de 11/12 anos a criar conta no Instagram ou no Twitter e muitos outros casos. Já não é novidade nenhuma que isto é um vício e é um vício que comecei a largar porque cansei-me. Durante este verão desintalei o Twitter porque tornou-se numa rede social bastante tóxica e que a mim não me estava a acrescentar nada de novo, deixei também de utilizar o Snapchat e as minhas chaminhas perderam-se todas (desculpem amigos <3) e, neste momento, utilizo apenas o Instagram porque gosto de seguir páginas de moda e retirar alguma inspiração de outras bloggers/youtubers e o Whatsapp/Messenger para ver as mensagens do grupo da turma. Faço hoje 17 anos e percebi há uns meses que não quero viver dependente disto. Quero aproveitar aquilo que está para além de um ecrã do telemóvel e tenho-me sentido muito melhor. É incrível as diferenças que um pequeno detox digital faz. Vou ser muito honesta, gostava ainda de ter a coragem para desinstalar as restantes, mas tendo em conta que só fiquei com 3 e 2 delas são utilizadas para a escola, sobra-me o Instagram que é a rede social que uso apenas como diversão. Ainda assim, estou orgullhosa porque costumava passar muitas mais horas no Instagram e consegui reduzir esse número. Aliás, de forma geral, consegui diminuir o número de horas que passava no telemóvel e isso deixa-me com algum orgulho, tenho de ser sincera. É mesmo aquilo que vos disse, é viver para além do online e eu noto muitas diferenças. Foi uma coisa bastante repentina, mas é um hábito que pretendo manter no futuro e que recomendo.

 

8- Não viver segundo as expectativas dos outros

Toda a gente consegue identificar-se com esta situação. Quem é que nunca num jantar de família levou com aquele comentário sobre escola, trabalho ou faculdade? As pessoas tendem a colocar as expectativas delas em nós e depois fica ali aquele bichinho a dizer baixinho "faz isto e aquilo porque é correto e o mais seguro para ti" e isso está errado. A vida é nossa e nós é que sabemos aquilo que é correto para nós. Ainda na sexta-feira, o meu DT fez um comentário relativamente a isto e eu acho importante partilhar convosco: "Vocês não imaginam o quão frustrante é ter uma licenciatura ou mestrado numa área que vocês não gostam." Estas palavras tocaram-me porque eu não quero sentir essa frustração e sei que ninguém quer. Muitas vezes, os nossos familiares parece que têm um plano detalhado para a nossa vida e eu entendo que é algo inconsciente e, no fundo, só nos querem ver bem, mas acho que não nos devemos deixar influenciar por isso. Devemos parar e pensar naquilo que realmente queremos e não nos devemos deixar levar por aquilo que os outros esperam de nós. Se alguém espera que vocês sejam engenheiros, mas vocês querem comunicação, então lutem por isso. Agora que estou a terminar o secundário eu penso muito nisto e é algo que tenho vindo a aprender mais e a explorar também. Pensem sempre naquilo que é melhor para vocês, seja numa profissão ou em outra decisão qualquer da vossa vida, primeiro estão vocês e as vossas escolhas e não as escolhas que os outros querem fazer por vocês. 

 

9- Fechar a água micelar enquanto estou a utilizá-la

A minha irmã que deve estar a ler isto vai entender esta pequena lição. Posso dizer-vos que às vezes sou um bocado cabeça no ar e enquanto estava a tirar a maquilhagem com a água micelar deixei o frasco aberto com a tampa ao lado. Já nem me lembro como, mas aquilo caiu e verteu uma quantidade relativamente considerável para o chão. Basicamente a minha irmã tinha comprado a água há dias, portanto o frasco ainda estava praticamente novo e ficou com metade da água. Acho que ainda dói o coração à minha irmã sempre que se lembra deste pequeno incidente.

 

10- There is no failure, you either win or learn

Eu acredito muito no destino e acredito que determinadas pessoas que entraram na minha vida tinham um certo propósito. Lembro-me que quando saíram da minha vida e as coisas que fizeram doeram e fiquei triste, mas rapidamente comecei a encarar isso como algo bom. Mesmo nos piores momentos, há sempre algo positivo para olhar. E bem, eu não sei quanto a vocês, mas eu acredito que depois de algo mau, o universo tem algo ainda melhor para nos dar. Por isso, temos que encarar certos momentos da nossa vida como algo que ganhámos, mesmo que seja uma lição. Uma lição já nos ajuda a crescer e a aprender. Além disso, para além de aprendermos algo, podemos ainda ter a oportunidade ganhar algo, seja uma pessoa nova que entra na nossa vida ou até alcançar algum objetivo que parecia estar tão longe de acontecer. Lembrem-se: everything happens for a reason. 

 

11- Não é preciso ter pressa 

Cada vez mais queremos fazer tudo ao mesmo tempo e mais rápido. Mil e uma coisas e não há necessidade disso. Todos nós temos o nosso tempo e cada pessoa tem um caminho diferente a percorrer. Só porque alguém já fez x ou y não significa que seja impossível ou que esteja à nossa frente, a vida não é nenhuma competição e cada um de nós tem o tempo que precisar para concluir as metas que pretendemos. É tudo uma questão de tempo e, cada vez mais, acredito que existem determinadas coisas que chegam quando estamos preparados, quando é o momento certo para agir. Portanto, penso que o mais adequado é mesmo aplicar isto: viver um dia de cada vez.

 

12- Às vezes, estar sozinha é essencial

Dou imenso valor a isto e acho extremamente importante. É bom saber estar sozinha porque torna-se num daqueles momentos de paz interior. Eu não costumava valorizar muito isto, mas às vezes eu gosto de estar sozinha simplesmente para pensar, para estar só eu e os meus pensamentos e conseguir relaxar, perceber melhor as coisas e visualizar tudo aquilo que está à minha volta. Saber estar sozinho é saber estar bem com nós mesmos, sentirmo-nos confortáveis na nossa própria pele e ajuda-nos a construir alguma confiança, a visualizar o nosso próprio mundo. Honestamente, acho que às vezes é bom parar e saber reconhecer isso,  reconhecer que às vezes é essencial ter algum momento para nós, para tratar de nós.

 

13- Ler é um hábito bom

Lembro-me que quando tinha 13/14 anos detestava ler e só costumava ler um livro para apresentações de português. Para ser sincera, não faço ideia o que aconteceu, mas no verão passado comecei a desenvolver um gosto enorme pela leitura. Sou fã de romances e depois de ler alguns em português, decidi aventurar-me no meu segundo idioma favorito, o inglês. Desde sempre que sou uma apaixonada por inglês e entrei nesse mundo no Natal passado, devo dizer-vos que adorei a experiência e tenciono repetir. Para além de alargar o meu vocabulário, seja em inglês ou português, sinto que me dá alguma paz também. Ler tornou-se num hábito mesmo bom porque faz-me entrar numa dimensão completamente diferente e relaxar, enquanto estou a ler apenas estou a pensar naquilo e consigo fugir um bocadinho do stress do dia-a-dia quando estou em aulas. 

 

14- Ter poucos amigos, mas bons amigos

Desde sempre que fui muito seletiva no que toca a amizades. Nunca foi fácil para mim fazer amigos e posso dizer que até ao meu 9º ano tinha apenas 3 amigas, sendo que uma delas é a minha irmã. Quando fui para o secundário fui com a ilusão de que iria fazer um grupo enorme de amigos e que isso seria mesmo divertido. A verdade é que sim, encontrei um grupo e que ao longo do tempo se foi desfazendo e as pessoas que ficaram em contacto não se revelaram propriamente boas amigas. Entretanto no 11º ano conheci também ótimas pessoas e que gosto e também é um bom grupo, mas é aquele grupo para sair/conviver e que às vezes se fecham em grupos mais pequenos. Costumava pensar nisto e achar que devia ter algum problema por existirem por aí pessoas com dezenas de amigos e eu só conseguir chamar verdadeiramente de amigo a 4/5 pessoas. Foi aí que percebi que mais vale ter poucos amigos, mas bons amigos. Estes meus amigos não precisam de falar comigo todos os dias ou de estar comigo todos os dias porque sei que quando mais preciso deles, eles estão ao meu lado, seja para festejar os meus sucessos ou as minhas derrotas. Prefiro que seja assim, gosto deste meu pequeno grupo e não o troco por nada deste mundo.

 

15- Não desistir perante as dificuldades

Ai Sofia, Sofia...às vezes dá uma vontade de me abanar e dizer para acordar para a vida, sabem? Eu tenho bastantes dificuldades em lidar com o facto de não ser capaz de fazer determinada coisa. Na minha cabeça, eu tenho que ser minimamente boa a tudo e isso acaba por me levar para caminhos menos bons porque fico demasiado presa nessa ideia. Demorou algum tempo para eu perceber que ser bom a tudo não significa ser muito inteligente ou ter muito sucesso. Confesso que ainda hoje estou a trabalhar nisto e o maior desafio começou há dias. A minha maior dificuldade neste mundo é matemática e eu adorava dominar esta disciplina, simplesmente não consigo e por mais que me expliquem as coisas, existe sempre algo que eu continuo sem perceber. Não tenho problema nenhum em admitir isto porque é a verdade nua e crua e eu reconheço essas dificuldades. Bemmm, o meu maior problema é mesmo desistir perante estas mesmas dificuldades porque me sinto mal por isso, começo a chorar porque começo a sentir-me burra e quando dou conta já não tenho motivação para a disciplina e deixo-me levar por isso. Uma coisa que tenho tentado melhorar é mesmo nisto, é a saber relativizar melhor as coisas e a dar o melhor de mim, mesmo que tenha alguns obstáculos pelo meio. Este ano é o meu grande objetivo, é conseguir lidar com matemática e tentar encarar a disciplina de forma mais positiva. 

 

16- A mudança é algo constante

Todos os dias aprendemos algo novo e isso tem um impacto em nós. Uma coisa que me irrita bastante é quando as pessoas não entendem isso e nos definem com coisas que fizemos há meses atrás ou até mesmo há anos. Só porque fizemos isso, não significa que tenhamos permanecido da mesma forma, não é verdade? Falo por experiência própria, já cheguei a mudar o meu ponto de vista relativamente a determinados assuntos, assim que experienciei a situação ou me informei sobre determinado assunto. Mudar é normal. Por isso, não deixem que alguém vos defina, que vos digam que são assim e assado ou que não são assim.

 

17- Ser feliz, SEMPRE!!!

Clichê, mas um clichê que tinha de estar aqui. Um dia péssimo tem sempre algo de bom. Mesmo nos momentos mais negros da nossa vida, há sempre algo em que podemos agradecer, em que podemos sentir-nos gratos e sorrir. Eu sei, parece demasiado conto de fadas, mas é a verdade. Existe sempre algo positivo na nossa vida e, citando o meu querido Dumbledore, às vezes basta ligar a luz. Portanto, penso que uma das coisas que sempre me vai definir é o meu bom humor e o facto de conseguir ver com facilidade o lado bom de um dia mau. Espero continuar assim e a ser feliz porque felicidade nunca é demais e é das coisas mais bonitas desta vida <3

 

E depois de tanta reflexão...posso dizer-vos que me sinto muito bem. São apenas 17 anos, mas são 17 anos que me ensinaram já muito. Tudo o que falei aqui é normal e tenho a perfeita noção que existem dezenas coisas que ainda nem faço ideia, mas não tenho pressa para isso. Aprendemos algo todos os dias e eu vou aprendendo uma coisa ali e outra acolá. Quero também aproveitar para vos agradecer por estarem desse lado a acompanhar todo este processo, o processo de uma miúda de 12 anos que venho parar aqui de paraquedas e tem estado por aqui a falar de tudo e mais alguma coisa. Já são alguns aninhos a acompanharem o meu aniversário, merecem uma fatia de bolo, não é verdade? Enfim...obrigada do fundo do meu coração. E agora está na altura de ir aproveitar o meu dia e cantar os parabéns mais logo, beijinhos e vejo-vos num próximo post <3

 

 

17
Set19

A minha rotina depois das aulas

Sofia

No ano passado partilhei convosco qual era a minha rotina antes de um dia de aulas, mas penso que nunca vos contei o que faço assim que chego a casa depois de um dia cansativo. Bem, posso dizer-vos que grande parte do tempo é passado à frente da secretária a fazer trabalhos de casa e a estudar mas, para além disso, tenho também alguns rituais que estão sempre presentes. Portanto, sem mais demoras, vou contar-vos qual é a minha rotina depois de mais um dia de aulas!

 

Rotina depois das aulas.png

 

➳  Almoçar e descansar

O lado bom de estar no 12º ano é ter um horário excelente e, maioritariamente, venho almoçar a casa. Sem dúvida que é um dos momentos em que aproveito para relaxar. As minhas aulas terminam à 13:15 e como vivo a uns 15 minutos da escola, num bom dia de trânsito, chego a casa à 13:30, o que é ótimo. Apesar de almoçar sozinha, tenho a companhia da minha cadela e do meu gatinho que não me largam e costumo ficar a matar algumas saudades no final de almoço.

 

➳ Colocar-me confortável

Por mais que seja aquele tipo de pessoa que adora estar toda arranjada e estilosa, não há nada como chegar a casa e vestir a roupa mais básica de sempre ou mesmo um pijama. Agora que ainda estamos em Setembro costumo vestir umas leggins e uma daquelas t-shirts oversized, mas quando o frio regressa a primeira coisa que faço quando chego a casa é mesmo vestir um pijama. Gosto de estar confortável enquanto estou a estudar, portanto isto é uma daquelas coisas essenciais.

 

➳ Redes sociais e ouvir música

Para não me distrair enquanto estou a estudar, vou atualizar-me do que se passa no mundo digital. Ultimamente tem sido apenas o Instagram, cansei-me um pouco daquela coisa das chaminhas do SnapChat e desinstalei o Twitter há uns bons tempos porque comecei a achar uma rede social bastante tóxica e com muita negatividade associada. Assim que termino de ver as histórias e responder às mensagens que tenho por ler, vou ouvir alguma música para me inspirar. Depende bastante do mood mas, normalmente, gosto de ouvir a minha playlist de Girl Power para me dar aquela motivação básica para começar a estudar.

 

➳ Organizar o meu estudo

A primeira coisa que faço quando me sento à frente da secretária é organizar-me. Normalmente faço isto na véspera e escrevo as coisas que tenho para fazer na agenda, no entanto gosto de confirmar o plano. Depois de uma manhã de aulas, sei que provavelmente vou ter algum trabalho que ainda não estava agendado ou mesmo alguma coisa que surgiu há última da hora e precisa de ser registado. Assim, faço uma pequena revisão nas coisas que tenho para fazer e tento gerir o meu estudo de forma a conseguir fazer tudo o que era suposto.

 

➳ Estudar (Trabalhos de Casa, Exercícios, etc...)

Isto é aquele tópico que depende bastante dos dias, mas o que faço normalmente é fazer os trabalhos de casa (se houver) primeiro porque é uma forma de rever a matéria que dei durante a manhã e assim sei que não me vou esquecer. De seguida, começo a estudar verdadeiramente e isto depois varia bastante de disciplina para disciplina. No que toca a matemática começo com exercícios e às restantes disciplinas, como são mais teóricos, costumo fazer mapas de conceitos seguido de alguns exercícios. Depois isto varia também dos testes que tenho e muitos outros fatores, mas de forma bastante geral é isto. 

 

➳ Pausa para lanchar e caminhar

Enquanto estou a estudar faço algumas pausas pequenas para ouvir 1 ou 2 músicas ou andar um bocado pelo quarto (random, eu sei). Mas bem, sem dúvida, que a minha maior pausa é quando vou lanchar. Aproveito para repor todas as minhas energias e quando termino costumo passear a minha cadela e assim consigo caminhar um bocadinho e gerir melhor as minhas ideias.

 

E bem, mal a caminhada termina volto à secretária e quando dou conta já é hora de jantar. De forma geral, é esta a minha rotina depois das aulas e que se torna repetitiva dia após dia. Espero que tenham gostado deste post e digam-me nos comentários o que vocês costumam fazer após um dia cansativo de aulas :)

16
Set19

O primeiro dia de aulas

Sofia

Segunda-feira, inicio de mais uma semana e o meu primeiro dia de aulas. Posso dizer que esta semana é mesmo o começo de algo e, neste caso, é o começo do meu 12º ano. Confesso que é no mínimo estranho pensar que este é o meu último ano de secundário, foi uma fase com bastante stress mas que também me fez crescer bastante e me fez ver as coisas de um prisma diferente. Então é difícil acreditar que é o último ano porque estes 3 anos passaram tão rápido, parece que foi ontem que estava aqui a partilhar convosco a minha entrada no secundário, a minha experiência com a mudança de escola e agora todas estas coisas são normais no meu dia-a-dia.

Devo dizer que é gratificante olhar para trás e ver que consegui atingir as minhas metas e que hoje vou iniciar o capítulo final desta fase. Penso que será uma fase boa, eu sinto-me bastante motivada porque tenho um horário mesmo bom, tenho um dia livre à sexta, ou seja, só vou ter 4 dias de aulas e nesses 4 dias vou ter sempre tardes livres e acho que isto me vai ajudar imenso para conseguir organizar melhor o meu tempo e dar o melhor de mim.  O que neste momento me assusta é o facto de ter aplicações informáticas. As minhas opções eram biologia/inglês, biologia/psicologia e, só em último, biologia/aplicações informáticas e tive o azar de não abrir turma das minhas 2 primeiras opções. Quando soube fiquei um bocadinho triste e comecei a achar que não ia conseguir ter boas notas com AI, mas depois tentei começar a ver o lado positivo e percebi que, muito provavelmente, vai ser uma disciplina bastante útil para o meu trabalho aqui no blog e isso já me deixou mais entusiasmada. Portanto, estou com o pressentimento de que vai ser um bom ano, um ano de conquistas e de muito sucesso e acho que vai ser a melhor forma de terminar o meu secundário.

E bem, acho que é tudo. Para quem está desse lado e vai regressar à escola/trabalho/faculdade, desejo-vos um excelente ano, acreditem sempre em vocês e nas vossas capacidades, continuem a lutar pelos vossos objetivos, porque um dia todo esse esforço é recompensado e, finalmente, sejam felizes e lembrem-se que é bom parar, nem que seja 5 minutos, para acalmar e ver que há uma solução para tudo. Por isso, espero que consigam alcançar todos os vossos sonhos neste ano letivo de 2019/2020 e, obviamente, entrem com o pé direito neste primeiro dia de aulas <3

 

Pág. 1/3

PESQUISAR

A BLOGGER

SEND ME SOME LOVE

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

AESTHETIC

ARQUIVO

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D