Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

The diary of a teenager

A girl should be two things: classy and fabulous

25
Out19

Chill Talk | Amor próprio

Sofia

Penso que a maior lição que retirei de 2019 foi a ter mais amor próprio e a mudar um pouco a minha visão sobre este assunto. Confesso que até há relativamente pouco tempo, não dava muita importância ao assunto porque nunca tinha tido qualquer tipo de problema a nível de confiança, sempre gostei bastante do meu corpo e o meu único problema de auto-estima, a nível físico, foi no meu 8/9º ano em que me sentia um bocadinho feia devido a um acne ligeiro (aquelas borbulhas chatinhas e que ninguém gosta). De qualquer forma, isto nunca me retirou a confiança e posso afirmar que sempre me senti bem comigo mesma, seja psicologicamente ou fisicamente.

E bem, eu não sei quanto a vocês, mas eu acredito muito no destino e acredito que determinadas pessoas cruzam o nosso caminho com um determinado propósito, positivo ou negativo, ensinam-nos algo. Há cerca de 3 anos atrás fiz amizade com um rapaz e, no inicio, ele fazia-me sentir bastante bem comigo mesma, comecei ainda a gostar mais de mim porque alguém estava a ver as minhas qualidades e é uma sensação de que todos nós gostamos, sentir que alguém gosta de nós.

Entretanto, a vida dá mesmo muitas voltas e esta amizade começou a tornar-se numa das coisas mais tóxicas da minha vida, com muitas discussões pelo meio e, mesmo quando estava tudo bem, eu não me sentia bem, sentia que era algo inconstante na minha vida. No fundo, era uma amizade que se baseava em carência, quando ele não tinha ninguém, eu era a amiga bonita, extremamente interessante e que era girlfriend material e quando ele começava a ter crush em alguma rapariga ou a namorar, eu passava a ser a rapariga chata, sem piada e qualquer coisa servia para me rebaixar, usar um batom (supostamente) dava-me um ar estranho ou a minha expressão em determinada foto não estava muito natural, enfim...foram dezenas de comentários e que, na minha cabeça, não eram maldosos. Lembro-me que houve uma altura em que me deixei regrar demasiado por isso, pela opinião dele, ou seja, deixava que a opinião dele fosse mais importante e decisiva do que a minha, eu podia até gostar de x coisa, mas se ele não gostava, eu não ia fazer isso.

Muito honestamente, penso que é esse o nosso erro, dependemos demasiado daquilo que os outros pensam de nós e dizem de nós. É perfeitamente normal isso ser assim, afinal de contas, as palavras são a arma mais poderosa que temos e podem ser usadas para fins positivos ou negativos e eu gostava que as pessoas tivessem isso mais em mente. Uma simples palavra pode destruir a confiança de alguém e uma simples palavra pode também fazer o dia de alguém. E uma coisa que eu reparo é que nós temos cada vez mais dificuldades em gostar de nós mesmos. A nossa sociedade tornou-se numa sociedade onde a vida no Instagram é mais importante do que a vida real, onde parece que toda a gente tem a vida perfeita e depois ficamos a comparar-nos com as modelos, as influencers e outras figuras públicas que parecem ter o corpo perfeito, sem barriga, sem celulite e sem estrias. Isto são apenas alguns exemplos, mas a verdade é esta, ficamos a olhar para estas fotografias e a pensar qual é o nosso problema, porque raio não conseguimos ter aquela barriga perfeita. Se temos poucos likes é porque a nossa foto não está boa o suficiente, é porque não somos bonitas o suficiente e isto é uma mentalidade tão errada. Dependemos tanto dos outros, em vez de estarmos a viver verdadeiramente a vida. Uma das coisas que fiz para recuperar a minha confiança foi afastar-me um pouco das redes sociais, desinstalei o twitter (uma das redes sociais mais tóxicas), também não usei muito o instagram e foi um bom detox digital. E bem, como já deu para reparar, eu não sou qualquer tipo de perita em amor próprio, mas uma coisa que tenho a certeza é que temos de parar uns minutos e pensar naquilo que nos faz bem e eu aprendi que se existe algo da nossa vida que não nos faz avançar, que nos faz ficar com aquela sensação de que tudo o que vamos fazer é errado, o melhor é mesmo cortar essa pessoa da nossa vida. Todos nós temos algo diferente, todos nós temos um super-poder diferente e ninguém tem o direito de nos fazer sentir o contrário. E lembrem-se sempre que ter amor próprio não é encontrar outro alguém para preencher esse vazio, o amor próprio tem de partir de nós, tem de ser uma viagem pela nossa própria alma e entender que existe sempre algo bonito dentro de nós.

Voltando a pegar num dos temas que falei no inicio, eu acredito muito no destino e sinto que existem pessoas que vão entrar na nossa vida apenas para nos deixar uma lição, existe sempre um propósito e se for para acontecer, assim será e o universo vai fazer por isso. Portanto, não tentem encontrar em alguém só para compensar essa falta de amor, tentem encontrar isso dentro de vocês e quando menos estiverem à espera...a pessoa certa vai estar à vossa espera. A mensagem que eu vos quero deixar é que todos nós temos algo de especial, o Instagram nunca vai definir a nossa vida, um bom ângulo ou bocadinho de edição podem tornar uma foto numa foto menos real, um rapaz ou outra pessoa qualquer nunca nos vai definir enquanto pessoas, nunca vai definir se alguma vez seremos amadas ou não. Parem para pensar no quão incríveis vocês são, lembrem-se também que é correto dizer não, lembrem-se que é correto cortar alguém da nossa vida quando já não faz sentido, lembrem-se que não é errado ser um bocadinho egoísta de vez em quando, digo isto no sentido em que às vezes toleramos determinadas situações só porque não queremos parecer x ou y, mas na realidade isso nem nos deixa confortáveis, nunca será errado olhar para aquilo que sentimos. Acima de tudo, tenham isto em mente, independentemente da circustância, nada foi em vão e conseguimos sempre retirar algo para nos fazer crescer enquanto pessoas. E para terminar, vou deixar-vos aqui um texto que adoro e que tenho guardado comigo porque me relembra de determinadas coisas que quero que estejam bem assentes na minha mente. 

 

"The whole world is inside you. To be able to find peace, you must, first, be at peace with yourself. To be able to truly enjoy life, you must, first, enjoy who you are. To be able to feel truly comfortable with your place in this world, you must, first, be comfortable in your own skin. Once you learn to master these, you'll be protected from anything that could tear you down from the outside. The gift of recognizing yourself is that no matter what happens, you know you'll always be fine. Build a strong foundation before building anything else on top of it."

 

"Self-growth is a beautiful thing. There is nothing wrong with choosing to have an healthy relationship with yourself before you ever decide to have an unhealthy one with someone else."

 

Estes últimos meses foram meses de aprendizagem, aos poucos eu recuperei a minha confiança, voltei a sentir-me bem comigo mesma, sem sentir que não sou bonita o suficiente, sem sentir que sou insuficiente enquanto pessoa. Todo este processo me deixa feliz, eu consegui lidar bastante bem com isto porque eu cheguei ao meu cúmulo e reconheci que estava na altura de afastar-me e seguir com a minha vida, focar-me em mim e naquilo que realmente me faz bem e que eu quero perto de mim. Gostava, muito sinceramente, de dizer-vos qual é o truque, acredito que depende bastante da forma como cada um de nós lida com as coisas, mas penso que posso afirmar que uma coisa bastante importante é manter-nos sempre fiéis a nós mesmos e viver um dia de cada vez. Existem dias bons e maus, e mesmo num dia mau, existe sempre algo que podemos fazer para inverter a situação, portanto, aproveitem este processo e apaixonem-se todos os dias por vocês mesmos. E agora sim, vou calar-me, quero desde já pedir desculpa por me ter prolongado tanto (quem chegar até aqui é corajoso) e por ter sido tão confusa, sinto que todas as minhas ideias estão um bocadinho soltas, mas eu estou a escrever isto no momento, não preparei nada e está a vir daquilo que literalmente me está na cabeça. Apesar de toda esta salada russa, espero que tenham gostado e vejo-vos num próximo post, beijinhos <3

16
Jul19

Amar a celulite

Sofia

Amar a celulite. Amar as estrias. Amar cada bocadinho, cada imperfeição do nosso corpo e não ter medo de estar fora dos padrões que a sociedade está sempre a impor. A verdade é que o verão não traz apenas coisas boas, também traz consigo muitas inseguranças e isso nunca devia ser um impedimento para sermos felizes, para nos sentirmos à vontade na praia sem estar a pensar se a celulite ou as estrias são demasiado notáveis. Não temos culpa da típica casca de laranja e a verdade é que não existe muita coisa a fazer sobre a mesma, penso que o máximo que se pode fazer é atenuar e devemos amá-la, assim como devemos amar o nosso corpo de forma geral.

A sociedade gosta de rotular as coisas e faz-nos acreditar de que o único corpo perfeito é o da Kylie Jenner ou de outras pessoas que vemos no Instagram. Imensas mulheres sofrem de problemas de auto-estima porque são levadas a cair neste erro, de que o corpo delas será sempre um problema seja porque têm um bocadinho de barriga a mais, ou porque têm demasiada celulite ou até por outras coisas mínimas, como pernas ou braços. É esta a realidade. Somos constantemente levadas a acreditar de que não pode ser assim, de que o nosso corpo é imperfeito só porque não é o corpo que vemos nas redes sociais. E sobre isto tudo eu só tenho uma coisa a dizer: amem-se.

Eu sei, não basta estalar os dedos e isso acontece de imediato. É uma luta diária, com dias bons e com dias maus mas que devem ser encarados como uma aprendizagem. São as pequenas coisas que nos fazem perceber que amor próprio é tudo e não é egoísta, aliás é essencial para uma mente saudável e feliz. Portanto, vamos lutar por isto. Vamos deixar de nos esconder da celulite, da barriga, ou seja o que for. Vamos usar todos os contras e transformá-los em prós. Vamos perceber realmente o poder das palavras porque, infelizmente, presencio várias situações onde o ódio vem da parte das outras mulheres, quando nos devíamos apoiar umas às outras. Vamos ser felizes. E por fim, vamos perceber que não existe um beach body, todos os corpos estão prontos para o verão.

 

// daily reminder //

Untitled design (2).png

Love yourself.png

 

E bem, isto foi um pequeno desabafo da minha parte. Sinceramente estou muito reticente relativamente a este post mas senti que era o correto a fazê-lo, estamos numa altura em que as pessoas julgam por x ou y e isso está muito errado. Achei que estava na altura de influenciar com algumas palavras que, embora não sejam nada de especial, podem fazer a diferença desse lado (espero eu). Com isto, espero que tenham um ótimo verão e que aproveitem cada minuto de praia, sem se preocuparem com aquilo que os outros pensam ou não, desde que vocês se sintam bem e sejam felizes é, sem dúvida, o mais importante <3

PESQUISAR

A BLOGGER

SEND ME SOME LOVE

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

// AESTHETIC //

ARQUIVO

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D